GAIA - Porto

Grupo de Acção e Intervenção Ambiental

terça-feira, fevereiro 08, 2005

Gaia - Porto (Apresentação)



É muito complicado dizer de uma forma muito sucinta o que é oGAIA. Basicamente, entre as outras associações, o que nos difere são alguns pontos base:

Uma perspectiva Biocêntrica do ecologismo (aliás, como o próprio princípio de GAIA enuncia, no qual somos um elo numa cadeia complexa de interacções de um ecossistema).
Por isso o nosso respeito em relação aos animais - sem excluirmos quem não o é ou perspectivas diferentes, bem pelo contrário, somos apologistas do vegetarianismo - e crítica ao antropocentrismo (que considera que o Homem tem o direito -"natural" - de usar e até abusar da natureza em função da sua vontade), que nos parece sofrer de profundas limitações e que será, eventualmente, uma das principais causas da degradada situação ambiental em que vivemos actualmente, nomeadamente no que diz respeito a padrões de depradação da espécie humana sobre as outras espécies e sobre o seu próprio ecossistema.

Somos um grupo de bases (não nos importa a formação, sexo, cor, estrato social ou capacidades dos nossos membros ou simpatizantes, só as motivações) porque achamos que o ecologismo não deve ser remetido para um processo de meras discussões técnicas (que é a ideia que vai prevalecendo). Elas são importantes, e são necessárias pessoas qualificadas para tal, mas ainda mais importante é percebermos-nos como parte de um habitat e de dinâmicas naturais que vale a pena aprender a compreender para nosso próprio benefício também.
O cidadão comum, eu, tu, nós, podemos (devemos talvez) pronunciarmo-nos e assumir as decisões referentes à forma como nos inserimos no nosso meio ambiente, natural e social.Nesse sentido temos também uma estrutura não hierárquica, onde todos partilham e assumem as responsabilidades que quiserem (ou não), sempre numa situação de trabalho de grupo funcionando por consenso e de forma auto-organizada.

Em geral, temos uma posição crítica (construtiva) em relação aos modelos de pensamento vigentes e muito em concreto em relação ao modelo ideológico hegemónico a nível global:
o neoliberalismo (daí surge a questão da globalização sem que geralmente se tenha uma noção muito clara do que consiste e suas implicações), porque mais do que resolver problemas pontuais, sem na verdade os resolver, consideramos que a raiz da generalidade dos problemas humanos, ambientais e sociais encontra-se no próprio paradigma ideológico - de pendor sobretudo financeiro - da sociedade global actual, onde o lucro é estabelecido como o princípio e propósito primordial de todas as actividades (des)humanas. Da mesma forma, considerámos que as soluções devem ser encontradas numa base local e sobretudo, no essencial, com base nos recursos(humanos, naturais, culturais, etc.) locais, entre outros aspectos. Daí a nossa incidência sobre as questões numa base ecológica social, que nos parece essencial para compreender e de facto abordar as questões em toda a sua e verdadeira dimensão, compreendendo as diversas relações de causa-efeito implicadas.

Na realidade o GAIA, e o GAIA - Porto em particular, é um projecto biocêntrico (mesmo socialmente) em construção, e mais do que contornos estáticos acreditámos em dinâmicas éticas coerentes, dinâmicas e que pretendem ser (R)evolucionárias, no sentido de trazer visões e possibilidades alternativas à sociedade em que nos inserimos e que se encontra, neste momento, a (re)produzir modelos e sistemas que apenas contribuem para a sua própria degradação e iminente destruição.

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home