GAIA - Porto

Grupo de Acção e Intervenção Ambiental

segunda-feira, março 07, 2005

divagação sobre rodas



em paris, apesar de ser uma cidade poluída e, a meu ver, insustentável pelo próprio modelo urbano que admite, esta foi uma das ruas em que menos bicicletas vi... era engraçado ver aqueles autênticos "senhores" de fato e gravata a porem a mala de executivo presa atrás, ou mesmo segurando-a na mão, e seguirem por ali fora até aos respectivos destinos. inclusivamente com chuva. mas a verdade é que lá não faltam ciclovias, mas também só há estradas planas...

estando nós portuenses numa cidade já por si desnivelada, acabamos até por admitir o desnível noutros aspectos da nossa vida. "é normal, para que uns andem à larga outros ficam apertados; é o sistema, é maior que nós e não podemos fazer nada; é a vida, é injusta connosco e só nos resta cruzarmos os braços...". é verdade que sou um pouco céptica quanto ao potencial de melhoria da nossa sociedade, mas cruzar os braços, não! isso é dizer "façam de mim o vosso alcatrão, destruam-me que eu fico passivamente a aceitar que as crianças que vão nascendo precisem de cada vez mais tralhas a tapar os seus corpos, já não chega a roupa que esconde quem verdadeiramente são em prol de uma aceitação social, para se estender a cremes gordurosos para a pele ou máscaras faciais para quem não resiste à poluição que se faz sentir! usem-me, gosto de ser cobaia das vossas estratégias publicitárias, das vossas experiências judiciais, dos vossos caprichos políticos! esfolem-me como o fazem a esse animal que agora tocam ao se sentarem confortavelmente nesse banco, ao pousarem os pés nessa carpete improvisada, ao aconchegarem os pescoços nessa morte injustificada que vos traz o conforto da riqueza exterior... matem-me para aí, que se estou assim é porque me limito a uma sobrevivência precária, e as vossas armas conseguiram cegar-me ao ponto de reconhecer que não tenho vida..."

paris não será muito melhor, possivelmente; mas nós estamos aqui, temo-nos para, no mínimo, garantirmos a prevalência do inconformismo.


*inês

3 Comentários:

At 10:53 da tarde, Blogger Gaia - Porto said...

exactamente o que eu presenciava no centro de londres, no fim de um dia de trabalho alguns senhores importantes da "city" (área económica) lá iam a pedalar, vestidos de fato e gravata. sem dúvida seria uma imagem curiosa para quem está habituado a considerar a bicicleta como um meio de deslocação para pessoas com baixo poder económico, e baixo nivel de educação

 
At 11:32 da tarde, Blogger pedrovski said...

Também observei o mesmo em Italia. Alias muitas das estradas também eram desniveladas, esburacadas, apertadas, com paralelos carros malucos, tudo do pior. Nao impedia que velhinhos, velhinhas, obesos, executivos, etc e tal andassem de bicla.
Acho que aqui em Portugal há muita ideia pre-concebida que é muito perigoso, que é so para malucos, e etc e tal...
Mas vamos continuar a mostrar que nao é bem assim ;)

Pedro G.

 
At 10:54 da tarde, Blogger utupiar said...

aqui por acaso n vejo muito senhores de fato e gravata de bicicleta.. mas também, n vejo muitos senhores de fato de gravata sem bicicleta.. acho que aqui o pessoal é todo muito descontraido nesse aspecto ..
mas em relacao ao tema principal, vejo é velhinhas e velhinhos, meninas todas arranjadinhas prontas para sairem à noite, pessoal com skis, mäes com bebes....!

 

Enviar um comentário

<< Home