GAIA - Porto

Grupo de Acção e Intervenção Ambiental

sexta-feira, junho 10, 2005

GAIA News - Junho de 2005


gerês

GAIA News - Junho de 2005

versões disponíveis online:
HTML: http://gaia.org.pt/news/GAIAnewsJunho2005.html
PDF: http://gaia.org.pt/news/GAIAnewsJunho2005.pdf

Editorial

Ares de Primavera

A Primavera chegou, e com ela toda a vida natural despertando para um novo ciclo pleno de vida e energia.

Para nós, que normalmente fazemos parte de uma sociedade essencialmente urbana, pós-moderna, industrializada, etc., estamos habituados a pensar que a natureza e o ambiente são os espaços naturais que de forma mais ou menos esporádica temos a oportunidade de conhecer em visitas quase museológicas (arredadas que estão as grandes áreas verdadeiramente naturais da generalidade dos grandes centros urbanos) a esses mesmos espaços. Particularmente em Portugal, o conceito de cidade é um conceito algo extremo, geralmente implicando uma exacerbada artificialização dos espaços naturais, processo que se reveste de muitas e variadas formas tais como a construção desenfreada, a impermeabilização dos solos e muitas vezes até os próprios espaços verdes são tudo menos realmente ecológicos dadas, por exemplo, as suas características em termos de consumo de água ou a proliferação de espécies exóticas, pouco apropriadas às características naturais de determinada região. Por tudo isso, para nós, normalmente não é propriamente fácil sentir a natureza na sua plenitude, ainda que todas as nossas actividades impliquem de alguma forma uma relação de profunda interdependência com esta, seja através do ar que respiramos, dos alimentos que ingerimos, da água que bebemos, dos próprios sentimentos que nutrimos pelos outros e pelo mundo que nos rodeia, etc.

Por outro lado, e talvez a uma escala sem precedentes na história do planeta, a natureza e os nossos ecossistemas encontram-se submetidos a uma pressão e exploração humana brutal, estando esse fenómeno a contribuir para a sua elevada deterioração e irreversível destruição.

Face a tudo isso, por vezes, sentimos uma enorme impotência e parece-nos que nada podemos fazer para inverter este processo … o que é meio caminho andado para, ao invés de tentarmos modificar algo nem que seja somente à escala do nosso próprio quotidiano, nada fazermos e tudo permanecer igual. A situação de iminente catástrofe ecológica que ameaça o planeta não se ficará a dever somente a todos os factores que para ela contribuem mas se calhar, e sobretudo, fica a dever-se à nossa passividade e apatia perante eles.

Por acreditarmos na sensibilização para uma abordagem radicalmente diferente, oposta a esta até, é que nos juntámos neste projecto colectivo que é o GAIA, onde o grupo se faz do dinamismo e activismo de seres humanos que ousam sonhar diferente, para que o mundo não seja o pesadelo que todos parecem querer ignorar. Mas nós não, e tu certamente também não. O GAIA pode ser também tu. Contacta-nos e informa-te para saberes como.


gaia@gaia.org.pt _ porto@gaia.org.pt _

Até breve! Pela paz, pelo amor e por uma Terra Livre!

GAIA - Porto

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home